Justiça de Munique ainda investiga o chefe da F1 por irregularidades na venda dos direitos da categoria

Bernie Ecclestone ainda não sabe se vai enfrentar um processo judicial em sua estadia na Alemanha durante o Grande Prêmio local . Em Munique, promotores da justiça local acusaram o chefe da Fórmula 1 de subornar banqueiros durante a venda dos direitos da categoria, em 2005.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Ecclestone ainda não foi processado, mas Gerhard Gribkowsky, banqueiro que organizou parte da transação, responde por quebra de sigilo e recebimento de pagamento corrupto, entre outras acusações.

De acordo com reportagem do jornal britânico Financial Times , os promotores ainda estão investigando a participação de Ecclestone no negócio.

“O Bayerische Landesbak estimou danos de quase US$ 65,5 milhões (cerca de R$ 104 milhões) por conta da conduta dos acusados”, disse Barbara Stockinger, representante dos promotores do caso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.