Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Ativistas pedem que Ecclestone não remarque GP do Bahrein

Corrida foi cancelada por conflitos políticos. Decisão sobre sua realização acontece até 1º de maio

iG São Paulo |

O presidente da FOA (Formula One Administration), Bernie Ecclestone, recebeu carta de um grupo de ativistas pró-democracia do Bahrein com pedidos para que ele rejeite a possibilidade do país sediar a F1 em 2011. O apelo, atrelado a uma campanha no Facebook, surgiu a menos de uma semana do prazo que receberam os organizadores da prova. A situação da nação do Golfo está melhor, no entanto ainda há insegurança da população.

Siga o iG automobilismo no Twitter.

Até o próximo domingo (1º de maio), a organização do GP do Bahrein precisa enviar à FIA a resposta sobre a disponibilidade do país em realizar a prova neste ano. A carta dos ativistas nomeados “Jovens da Revolução de 14 de fevereiro” pede a Ecclestone que “reconsidere em colocar um esporte tão feliz no meio de um país que usa da força militar como forma de coerção”, mostra. O grupo se diz ao lado dos direitos humanos e da população do Bahrain.

O circuito de Sakhir receberia a F1 na primeira etapa da temporada (13 de março). Porém foi cancelada por conta dos violentos protestos sociais contra os regimes rígidos e a falta de direitos humanos no país.
 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG