Britânico também afirma que se sentiu confortável no novo carro da McLaren

Ao fim dos quatro dias de treinos em Jerez de la Frontera, na Espanha, o britânico Lewis Hamilton analisou os carros desenvolvidos para a temporada 2012 da Fórmula 1 . O piloto destacou o desempenho da Red Bull e acrescentou que a Ferrari ainda não mostrou todo seu potencial.

Leia também:
Alonso reclama de perda de tração no novo carro da Ferrari

"É preciso lembrar que todo mundo está focando no seu próprio programa, então não é uma disputa de quem faz o tempo mais rápido", começou Hamilton. Apesar da liderança de Fernando Alonso no último dia de treino , o inglês não se impressionou com a Ferrari, mas destacou a atuação da Red Bull.

"No momento, nós estamos apenas tentando dar o maior número de voltas, testando componentes. Nas próximas semanas, nós vamos ter uma ideia melhor de onde cada equipe está. A Ferrari ainda não mostrou muita coisa, mas, claro, a Red Bull parece rápida, como sempre foi", analisou.

Sobre seu desempenho, Hamilton se disse confortável com a nova máquina da McLaren. "Eu me senti bem ao pilotar pela primeira vez. Voltando à pista depois de um longo inverno, meus pensamentos eram muito bons. No começo de todo ano, você nunca sabe o que esperar, mas sempre torce por um bom começo e por algo que a equipe possa desenvolver", ressaltou.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Embora a experiência de pilotar o MP-427 tenha sido positiva, ajustes no simulador ainda devem ser feitos. "Há algumas coisas no carro que precisamos arrumar, mas não há problemas reais. Ele é apenas diferente de pilotar. Eu testei no simulador e foi um pouco diferente da realidade, então vamos voltar e ajustar o simulador ao que acontece na vida real", explicou o campeão de 2008.

Os testes também foram importantes para Lewis Hamilton detectar uma falta de aderência nas rodas traseiras do carro. "No ano passado, nós tínhamos muito mais suporte e estabilidade, especialmente nas curvas de alta, mas agora estamos precisando encontrar aderência. Vamos tentar tirá-la da frente e passar para a parte traseira de alguma forma, mas eu penso que a base que nós temos é algo que realmente podemos começar a trabalhar", minimizou o britânico por fim.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.