Tamanho do texto

Para Christian Horner, dificuldade no controle dos gastos compromete a funcionalidade da Associação

Chefe da Red Bull, Christian Horner explicou porque sua escuderia resolveu deixar a Associação das Equipes da Fórmula 1 (Fota, na sigla em inglês). De acordo com o dirigente, a instituição não faz mais sentido como na época em que foi criada.

Veja também: Vettel já se vê como parte da história da Fórmula 1

“A Fota fez muitas coisas boas quando foi criada. O foco era economizar. Nos últimos meses, foi menos efetiva e mais dividida na maneira de pensar como poderia avançar e quais eram suas responsabilidades. Tomamos a decisão de sair da Fota e continuaremos de olho na evolução das coisas”, disse Horner, em entrevista à revista britânica Autosport .

Siga o iG Automobilismo no Twitter

O chefe concordou com a opinião de Adrian Newey , diretor técnico da Red Bull, que afirmou que a dificuldade no controle do Acordo de Restrição de Gastos (RRA, na sigla em inglês) compromete a funcionalidade da Fota.

“É preciso abranger todos os aspectos do carro. Lidar com igualdade é sempre perigoso. Cada equipe tem diferentes modelos de hierarquia. Há uma boa vontade de todas as equipes para controlar os custos, o problema é como fazer isso”, declarou Horner.