Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Após críticas, diretor da Pirelli destaca emoção no GP da Malásia

Paul Hembery diz que a fornecedora cumpre exigências, mas pode alterar durabilidade dos compostos

iG São Paulo |

A corrida na Malásia deste domingo apresentou um interessante teste aos pneus da Pirelli, pelo calor e umidade do circuito de Sepang, o que causou um desgaste alto nos compostos. Isso fez com que os pneus soltassem pequenos pedaços de borracha, que acertaram e até machucaram alguns pilotos.

Siga o iG automobilismo no Twitter

“Existem vários destes pequenos pedaços por aí, talvez muitos. No fim da corrida fica difícil de ultrapassar”, disse Paul di Resta, que terminou a prova em décimo mais uma vez, em entrevista ao jornal inglês “The Telegraph”.

“Outra coisa é que esses caroços de borracha ficavam subindo e me acertando nas mãos, no meio de uma curva rápida enquanto eu virava o volante. Borracha não é o material mais macio e se te acertar no lugar certo, pode machucar. Aconteceu diversas vezes durante o fim de semana, ao se dirigir para uma curva a borracha percorre sobre o pneu e vem pra cima”, reclamou o piloto da Force India.

Os comentários do britânico pegaram o diretor de esportes a motor da Pirelli, Paul Hembery, de surpresa. “Eu não ouvi comentários assim dos três do pódio, mas se é um problema, teremos de confrontá-lo. No entanto aconteceram muitas ultrapassagens e teremos que analisar todas as manobras, mas os pedaços tem de ir pra algum lugar e isso é uma dificuldade para nós”, comentou.

“Ou nós voltamos para a estratégia de um pit só, se é o que acham melhor, ou continuamos a fazer o que nos pediram. Eu não tenho uma varinha mágica. Me disseram que foi a corrida mais emocionante dos últimos tempos. Se não tivessem os pedaços, seria ainda mais excitante? Achei que seria bom para o espetáculo, mas se as pessoas não acharem correto, mudaremos”, acrescentou o dirigente.

“É difícil para nós porque estamos no meio. Não estou sendo defensivo porque todos têm que decidir. A única forma que poderíamos criar a estratégia forçada seria mudar a duração do pneu. Se querem ir nessa direção terão que nos falar. Se serei criticado por deixar as corridas mais excitantes, eu não sei o que dizer”, finalizou Hembery.
 

Leia tudo sobre: PirelliPaul Hembery

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG