Piloto diz que número alto de ultrapassagens na Turquia foi por conta da degaradação rápida dos compostos

O GP da Turquia foi marcado por um grande número de ultrapassagens. Muitas delas aconteceram na zona de uso da asa traseira móvel, entre as curvas 11 e 12. Fernando Alonso, no entanto, disse que não foi o dispositivo que permitiu muitas trocas de posições, mas sim o desgaste dos pneus.

Siga o iG automobilismo no Twitter

"As ultrapassagens que vimos foram mais por conta da diferença entre os pneus do que da asa. Eu gosto, estamos nos acostumando a isso. É uma nova F1 em relação ao ano passado. Quando estava seguindo Rosberg, foi impossível ultrapassá-lo nas duas primeiras voltas, mas quando ele começou a ter degradação dos pneus foi muito fácil. Então é mais ligado aos pneus", disse Alonso, em entrevista à BBC .

O ferrarista também disse que os críticos do sistema devem se lembrar que as novas regras foram implementadas a pedido da FIA, a fim de aumentar o entretenimento, embora ele acredita que as corridas não estejam sendo muito difíceis de seguir.

"É o que as pessoas pediram", disse o espanhol. "Mais show, mais paradas de pit, mais ultrapassagens. Pode ser um pouco confuso para as pessoas. Você pode acompanhar os primeiros cinco caras, mas você não pode acompanhar o 14º lugar porque ele já está com muitas paradas. Mas o importante é muita gente nas arquibancadas e muita gente na frente da televisão, e espero que este ano seja melhor", concluiu o bicampeão mundial da categoria.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.