Prova teve muitas ultrapassagens - menos na primeira posição, dominada pelo alemão de ponta a ponta

O Grande Prêmio da Turquia deste domingo (8) teve duas corridas diferentes. A primeira, tranquila, foi a de Sebastian Vettel, da Red Bull, que largou na pole, liderou de ponta a ponta e obteve sua terceira vitória na temporada, disparando na liderança do Mundial de Pilotos. O alemão agraceceu sua equipe por ter consertado seu carro a tempo para a prova.

A segunda, emocionante, foi a dos demais pilotos: o alto número de pit stops, o uso da asa móvel e o desgaste acentuado de pneus provocaram muitas trocas posições da segunda colocação para trás durante toda a corrida.

Siga o iG Automobilismo no Twitter .

Na Turquia, Vettel garantiu sua terceira vitória em quatro corridas no ano
AP
Na Turquia, Vettel garantiu sua terceira vitória em quatro corridas no ano

Webber ultrapassou Alonso nas voltas finais para garantir a primeira dobradinha da Red Bull na temporada. O espanhol completou o pódio. A McLaren de Lewis Hamilton apareceu em seguida. Felipe Massa, que foi prejudicado pelo trabalho lento da Ferrari nos boxes, acabou a prova na 11ª colocação. O ferrarista, que tem o maior número de vitórias na Turquia, teve seu pior desempenho na prova desde que começou a correr pela escuderia italiana, em 2006. Rubens Barrichello, que chegou a estar em sétimo durante a corrida, foi atrapalhado por um toque de Michael Schumacher e mais uma vez não conseguiu pontuar: ficou em 15º. Após a prova, Rubinho culpou o KERS de seu bólido pela má colocação .

Largada emocionante

Na largada, o alemão Nico Rosberg, da Mercedes, conseguiu ultrapassar Mark Webber e assumiu a segunda colocação. Lewis Hamilton, em quarto, forçou ao tentar pegar carona e ganhar a posição do australiano, mas errou o ponto de freada e foi para a sexta colocação , atrás do companheiro de equipe, Jenson Button. Os brasileiros se beneficiaram nas primeiras voltas: Felipe Massa se aproveitou do toque de Vitaly Petrov e Michael Schumacher para ultrapassar os dois. O alemão da Mercedes teve de ir para os boxes, e o ferrarista assumiu a sétima posição. Em seguida, Rubens Barrichello ultrapassou Nick Heidfeld e assumiu o nono lugar.

Apesar do início conturbado, não demorou para que Webber, aproveitando-se do uso da asa traseira móvel, reassumisse a vice-liderança. Com isso, as brigas mais emocionantes por posição ficaram entre Rosberg e Alonso, pela terceira colocação, e Button contra Hamilton, pela quarta. Enquanto isso, Vettel disparava na liderança, sem ser incomodado. O espanhol conseguiu passar o alemão e colocar-se atrás somente das Red Bulls. Button, por sua vez, conseguiu manter sua posição.

Ferrari se atrapalha e Red Bull dá show nos pits

A intensa briga por posições dos pilotos da McLaren permitiu a aproximação de Massa. O brasileiro passou a atacar Hamilton, que, para defender-se, teve de abrir mão da ofensiva contra Button. O ferrarista chegou a ultrapassar o britânico na pista, mas os dois pararam ao mesmo tempo e a McLaren foi mais rápida, devolvendo seu piloto à pista na frente. Depois da prova, Massa lamentou os problemas que teve nos pit stops . Na pista, Barrichello aproveitou-se da parada da Kobayashi na 14ª volta para ultrapassar Schumacher e assumir a 11º colocação.

Depois da primeira rodada de pit stops, Rosberg, Hamilton e Massa, respectivamente, ficaram muito próximos e passaram a brigar pela quarta posição. Na 15ª volta, Hamilton conseguiu ultrapassar o alemão, que passou a defender-se do ataque do brasileiro. O ferrarista chegou a passar o piloto da Mercedes na 21ª volta, após quatro tentativas usando a asa traseira móvel. Porém, logo na curva seguinte, Rosberg retomou a quarta posição. A briga permitiu a aproximação de Button, Massa voltou a ultrapassar Rosberg na 22ª volta, e o piloto da McLaren, também com o uso da asa móvel, aproveitou-se e também ficou à frente do bólido da Mercedes. Na 24ª volta, o britânico ultrapassou o brasileiro e assumiu a quarta colocação.

Alheio a toda essa confusão nas brigas por posição, Vettel parou na 25ª volta e a equipe trocou seus pneus em 3s1, tempo impressionante. Button, por exemplo, que foi para os boxes logo em seguida, gastou 5s2 em sua parada. O britânico criticou a estratégia usada pela McLaren na prova .

Depois da segunda rodada de pit stops, a Ferrari de Alonso passou a render melhor. O espanhol aproveitou-se do uso da asa móvel para ultrapassar Webber e assumir o segundo lugar. Já Massa teve efeito contrário; voltou em sexto, perdeu desempenho e não conseguiu ultrapassar Petrov pela quinta posição. A demora permitiu, mais uma vez, a aproximação de Button, que perdeu muito tempo em sua parada. O britânico conseguiu assumir a sexta colocação na 35ª volta.

McLaren complica a corrida de Hamilton

Na 35ª volta, a McLaren teve problemas para trocar os pneus de Hamilton. O britânico perdeu muito tempo e voltou na sétima posição. A Ferrari também foi lenta e demorou mais de seis segundos para trocar os pneus de Massa . O brasileiro voltou em 11º errou e perdeu posições para Sutil, Schumacher e Kobayashi. Rapidamente, porém, conseguiu ultrapassar o japonês, assumindo a 13ª posição.

O desgaste acentuado de pneus obrigou alguns pilotos a pararem quatro vezes para trocar os compostos. Do pelotão da frente, Rosberg e Webber foram os primeiros a pararem pela quarta vez. Antes, Pérez e Liuzzi – que passaram por problemas – já haviam feito sua quarta parada. Pra variar, a Ferrari prejudicou Massa nos boxes: a escuderia demorou mais de nove segundos, graças a um problema na troca do pneu traseiro direito do brasileiro, e minou suas chances de conseguir um bom resultado. Como comparação, a Red Bull demorou 3s3 na quarta troca de Vettel.

Estratégia volta a beneficiar Webber

Na última corrida, na China, Webber largou em 18º, mas, graças aos pneus que poupou no classificatório, conseguiu terminar a prova em terceiro. Na Turquia, a estratégia voltou a ajudar o australiano, que deu apenas uma volta no Q3 e economizou pneus para a corrida. Como conseguiu retardar o uso dos pneus duros, o piloto da Red Bull conseguiu demolir a vantagem de Alonso nas voltas finais, e ultrapassou o espanhol na 51ª volta. Um giro antes, Hamilton passou Button e assumiu a quarta posição. Mesmo perdendo a segunda posição, Alonso disse que, durante a prova, recuperou o "prazer de correr" .

Confira a classificação final do Grande Prêmio da Turquia:

1- Sebastian Vettel (ALE)-Red Bull-1h30min17s558
2- Mark Webber (AUS)-Red Bull- +8.807
3- Fernando Alonso (ESP)-Ferrari- +10.075
4- Lewis Hamilton (GBR)-McLaren- +40.232
5- Nico Rosberg (ALE)-Mercedes- +47.539
6- Jenson Button (GBR)-McLaren- +59.431
7- Nick Heidfeld (ALE)-Renault- +60.857
8- Vitaly Petrov (RUS)-Renault- +68.168
9- Sébastien Buemi (SUI)-Toro Rosso- +69.394
10- Kamui Kobayashi (JAP)-Sauber- +78.021
11- Felipe Massa (BRA)-Ferrari- +79.823
12- Michael Schumacher (ALE)-Mercedes- +85.444
13- Adrian Sutil (ALE)-Force India- +1 Volta
14- Sergio Pérez (MEX)-Sauber- +1 Volta
15- Rubens Barrichello (BRA)-Williams- +1 Volta
16- Jaime Alguersuari (ESP)-Toro Rosso- +1 Volta
17- Pastor Maldonado (VEN)-Williams- +1 Volta
18- Jarno Trulli (ITA)-Team Lotus- +1 Volta
19- Heikki Kovalainen (FIN)-Team Lotus- +2 Voltas
20- Jérôme D´Ambrosio (BEL)-Virgin- +2 Voltas
21- Narain Karthikeyan (IND)-Hispania- +3 Voltas
22- Vitantonio Liuzzi (ITA)-Hispania- +5 Voltas
23- Paul di Resta (GBR)-Force India-abandonou
24- Timo Glock (ALE)-Virgin-abandonou

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.