MPF já havia o denunciado por atacar uma mulher durante um voo e, em agosto, Cobra voltou a cometer crime sexual contra uma jornalista

O ex-preparador físico de Ayrton Senna , Nuno Cobra, de 79 anos, foi preso nesta segunda-feira pela Polícia Federal em São Paulo, acusado de abusar sexualmente de uma mulher em agosto deste ano, informou o Ministério Público Federal (MPF). Ele se apresentou à sede da Justiça Federal Criminal e passou por audiência de custódia nesta tarde.

Leia também: Espanhol Fernando Alonso é nomeado sócio honorário do Real Madrid

Na semana passada, a Procuradoria em São Paulo havia pedido a condenação de Nuno Cobra por conta de outro crime sexual que aconteceu durante um voo, em 2015.

Nuno Cobra trabalhou como preparador físico de Ayrton Senna; ele foi preso pela PF por abusar sexualmente de mulher
Arquivo pessoal
Nuno Cobra trabalhou como preparador físico de Ayrton Senna; ele foi preso pela PF por abusar sexualmente de mulher

De acordo com relato da vítima e de testemunhas, o preparador físico "sentou-se ao lado da mulher e começou a conversar com ela, dizendo que trabalhava com o corpo e manipulação de energias. Porém, durante a decolagem, passou a tocar os seios e pernas da mulher várias vezes. Enquanto tocava a passageira, o homem dizia que o formato do corpo da vítima lhe despertava pontos energéticos que não sentia havia muito tempo", diz o MPF.

Leia também: Atraso em treino da Fórmula 1 na Itália por causa da chuva vira motivo de piada

A prisão ocorreu nesta segunda-feira porque Cobra repetiu o mesmo crime outrora denunciado. De acordo com a assessoria do MPF, o homem atacou, em agosto, uma profissional de imprensa após uma entrevista. Com o microfone desligado, ele pegou nas nádegas da mulher e esfregou seu órgão sexual nela após ficar ereto.

Na sequência, Nuno afirmou ao colega de bancada da mulher que era assim que se abraçava uma pessoa e que os homens possuem "energias sexuais" que "as mulheres deveriam compreender".

De acordo com a sentença, proferida pela juíza Raecler Baldresca, Cobra foi enquadrado pela Procuradoria no artigo 215 do código penal, que fala sobre uma "conjunção carnal ou ato libidinoso mediante fraude ou meio que impeça ou dificulte reação da vítima" e condenado a 3 anos e 9 meses, com pena revertida em serviços comunitários e multa.

Leia também: Robert Kubica celebra volta às pistas após seis anos em treino coletivo da F1

A acusação do novo caso, no entanto, fez a Justiça decretar a prisão preventiva do abusador. Segundo o MPF, o agressor agiu de forma dolosa para praticar os crimes simplesmente para satisfazer seu prazer sexual.

Trabalho com Senna

Nuno Cobra se formou na Escola de Educação Física de São Carlos e ficou famoso após cuidar da preparação física do piloto de Fórmula 1 Ayrton Senna, em 1983, já que, à época, nenhum piloto cuidava da saúde, mesmo com a rotina de treinos e corridas. Na década de 1990, ele trabalhou também com Christian Fittipaldi, Rubens Barrichello, Mika Hakkinen e outros esportistas.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.