Ecclestone é acusado de 'negociata' em processo judicial de US$ 100 milhões

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Chefe comercial da Fórmula 1 teria subvalorizado a categoria em negócio com empresa de mídia

Reuters

Getty Images
Bernie Ecclestone, chefe comercial da Fórmula 1

O chefe comercial da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, foi acusado de participar de uma "negociata" que custou milhões a uma empresa alemã de mídia, segundo processo judicial apresentado na terça-feira a um tribunal de Londres.

Comente esta notícia com outros torcedores

A Constantin Medien quer uma indenização equivalente a 100 milhões de dólares de Ecclestone, alegando que ele e três outros réus deliberadamente subvalorizaram a Fórmula 1 quando o fundo privado de investimentos CVC Capital Partners entrou para o negócio, em 2005.

O Constantin, grupo de mídia voltado para os esportes, tinha interesse na venda da participação do banco alemão Bayern LB no automobilismo para o CVC, e a Constantin diz ter perdido milhões por causa da subvalorização.

Por causa dessa venda, um ex-diretor do BayernLB já foi condenado a oito anos de meio de prisão por corrupção, e um tribunal alemão irá decidir no ano que vem se o próprio Ecclestone deve ser levado a julgamento.

Além disso, na terça-feira o Ministério Público de Genebra disse ter recebido uma denúncia da Constantin Medien a respeito da transação contestada.

Ecclestone nega as acusações, que podem levá-lo a perder seu controle sobre a categoria. O dirigente, de 83 anos, deve comparecer na semana que vem para depor na Alta Corte de Londres.

Leia tudo sobre: bernie ecclestoneformula 1f1automobilismo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas