Christian Horner, chefe da equipe austríaca, disse esperar que a FIA tome uma atitude em relação a este caso

Christian Horner (à esquerda) pede uma decisão da FIA a respeito do convite da Pirelli
Getty Images
Christian Horner (à esquerda) pede uma decisão da FIA a respeito do convite da Pirelli

Desde que o polêmico teste secreto da Mercedes com pneus Pirelli veio à tona, a Red Bull foi uma das equipes que mais condenou o ato e cobrou punição aos envolvidos junto à FIA (Federação Internacional de Autumobilismo). Neste sábado, o chefe Christian Horner revelou que a escuderia austríaca recusou convite semelhante por considerar que a ação violava o regulamento da Fórmula 1 .

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Nós acreditamos que é uma  responsabilidade do competidor cumprir as regras. É uma questão envolvendo a equipe, a FIA e, obviamente, a Pirelli. Eles pediram para vários times realizarem os testes, incluindo nós mesmos", afirma o dirigente.

"Mas nos recusamos a participar desses treinos. Nós sentimos que eles não estavam em conformidade com os regulamentos, principalmente sendo com os carros de 2013", garante. "Essa é a situação. A questão foi ao tribunal e nós confiamos na FIA para tomar uma decisão adequada com relação a tudo isso", completa.

Veja ainda: Mark Webber lidera treino livre reduzido na F1 em Montreal

Apesar de Mercedes e Pirelli insistirem em dizer que os testes realizados em Barcelona não foram realizados de maneira secreta, Horner mantém a postura em relação ao caso e acredita que a escuderia alemã obteve vantagem com a experiência.

"Mesmo testando um componente para outro fornecedor, você aprende coisas. A F-1 mudou muito nos últimos anos para garantir igualdade para todos os participantes e acho que se uma equipe completa 1.000 km de testes extra, então vai aprender, sim, alguma coisa", conclui.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.