Ecclestone afirma que pode deixar a F1 por conta de acusação de suborno

Chefão da categoria está envolvido em escândalo de corrupção e pela primeira vez admite que isso pode afastá-lo da F1

iG São Paulo |

Envolvido em um escândalo de corrupção e acusado de suborno, Bernie Ecclestone admitiu pela primeira vez que pode ser afastado da Fórmula 1 caso seja considerado culpado no caso. Em entrevista ao jornal The Sunday Telegraph , o britânico afirmou que deixaria de ser o chefe executivo da empresa que detém os direitos comerciais da categoria se não for inocentado. ““Isso provavelmente os forçaria a se livrarem de mim se os alemães vieram atrás de mim. É óbvio no caso de eu ser preso”, disse.

Leia também:  Veja em imagens como foi a temporada de despedida Schumacher

O processo envolvendo o chefão da F1 corre na justiça alemã e trata da compra dos direitos da F1 feita pela CVC, empresa da qual Ecclestone é executivo. O grupo adquiriu ações que pertenciam ao banco alemão BayernLB em 2006. Na transação, Ecclestone teria subornado Gerhard Gribkowsky, diretor do banco, com 45 milhões de euro. O banqueiro já foi julgado e condenado a oito anos de prisão. Já o chefão da F1 alega que foi chantageado para participar da transação e diz que não foi um suborno.

Deixe seu recado e comente esta notícia com outros leitores

Com 82 anos, Ecclestone também admitiu na entrevista que a CVC já busca substitutos para ele. “Contrataram um caçador de talentos para encontrar alguém no caso de eu não estar mais lá. É algo normal, que eles têm que fazer para deixarem as pessoas contentes”, afirmou.

    Leia tudo sobre: Fórmula 1F1Bernie EcclestoneSubornoAcusação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG