Presidente da escuderia italiana ressalta evolução do brasileiro em 2012 e afirma que ajuda entre pilotos é normal na Fórmula 1

A Ferrari deve continuar fazendo jogo de equipe para favorecer um piloto que esteja brigando pelo título da Fórmula 1. Quem garante é Luca di Montezemolo, presidente da escuderia italiana, que afirmou que é normal que um piloto ajude seu companheiro na briga pelo título.

Leia também: Caterham tem interesse em Bruno Senna, afirma chefe da equipe

"Nossos pilotos conduzem para a Ferrari, não para eles. Ponto. Gosto de espírito de equipe”, afirmou. “Se um piloto pode ganhar o campeonato, o outro deve ajudar. Continuaremos fazendo jogo de equipe, de maneira transparente. Aqueles que criticam fazem o mesmo, mas com menos transparência. Esta é a posição oficial da Ferrari. Se gosta, tudo bem. Se não, não me importa”, explicou o dirigente.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros leitores

O chefe da escuderia de Maranello ainda elogiou Felipe Massa, que iniciou o ano abaixo do esperado, mas se recuperou no fim do campeonato. "Acertamos ao confirmar Felipe (para 2013), porque quando você vai mudar um piloto, tem que garantir que o substituto será mais rápido e melhor do que o anterior”, comentou.

“Não encontramos nenhum piloto que garantia isso. Este último ano vai ajudar o Felipe psicologicamente para a próxima temporada. Também queremos e achamos importante garantir a parceria na equipe, como fizemos na época de Michael Schumacher", explicou Montezemolo, lembrando a época de Schumacher e Rubens Barrichello.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Neste ano, a Ferrari foi duramente criticada por mexer no câmbio do carro de Felipe Massa somente para que o brasileiro perdesse cinco posições e Fernando Alonso, com isso, ganhasse uma posição e largasse do lado limpo da pista.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.