“Homem de Gelo”, Raikkonen coroa volta à Fórmula 1 com vitória e polêmicas

Finlandês, que está em terceiro no Mundial após dois anos de ausência, brigou com equipe no rádio e foi repreendido pela Lotus por comemorar triunfo em Abu Dhabi com cerveja

Guilherme Abati - iG São Paulo | - Atualizada às

Kimi Raikkonen não é um piloto comum. Quando deixou a Fórmula 1 no fim da temporada 2009, o "homem de gelo" parecia desmotivado com sua carreira justamente na maior categoria do automobilismo mundial. Havia sido campeão dois anos antes e, correndo pela tradicional Ferrari ao lado de Felipe Massa, se mostrava cada vez mais cansado de entrevistas, da política e do cotidiano da categoria. Após rescindir seu contrato com o time italiano, o finlandês decidir seguir novos rumos dentro do automobilismo e assinou com a Citroën em 2010 para disputar o WRC (Campeonato Mundial de Rali).

Leia também: Para ser campeão nos EUA, Vettel precisa de combinação incomum de resultados

Lá disputou duas temporadas seguidas e terminou as duas na décima colocação, sem conseguir chegar perto das vitórias. Em 2011, paralelamente ao WRC, Raikkonen ainda também se arriscou na Nascar, correndo pela Nationwide Series na etapa de History 300, na qual terminou apenas na 27ª posição.

Duas temporadas longe das vitórias foram suficientes para Raikkonen voltar à Fórmula 1 pela Lotus, antiga Renault, que havia feito um campeonato mediano no ano anterior, com a quinta posição no Mundial de Construtores. O que era para ser apenas uma temporada de readaptação sem tanto brilho, porém, se transformou em um ano surpreendente. Mesmo com um carro inferior aos de Red Bull, Ferrari e McLaren, Raikkonen é um dos grandes destaques do campeonato e coroou o bom ano com uma vitória surpreendente em Abu Dhabi.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros leitores

Das 18 etapas de 2012, Raikkonen ficou 17 vezes entre o Top-10, sete delas no pódio. Não pontuou apenas no GP da China, quando foi 14º. Antes da vitória em Abu Dhabi, bateu na trave por três vezes: no Bahrein, em Valência e na Hungria foi o segundo colocado. O desempenho surpreendente dá a Raikkonen a terceira posição no Mundial, atrás apenas de Sebastian Vettel, atual bicampeão da categoria, e Fernando Alonso, e esta à frente de Lewis Hamilton, Jenson Button e Mark Webber, pilotos com carros superiores. 

AP
Raikkonen superou os líderes do campeonato em Yas Marina

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Respostas polêmicas e comemoração com cerveja marcaram vitória em Abu Dhabi

No lugar mais alto do pódio em Yas Marina, com seu jeito calado, Raikkonen foi perguntado pelo ex-piloto David Coulthard se estava feliz. “Não muito, na verdade”, respondeu, com o rosto impassível. “Estou feliz pela equipe. Espero que esse resultado nos dê forças para vencermos e disputarmos o título em 2013”.

Pouco antes, ainda na pista, suas respostas ao engenheiro da equipe também foram destaque. O finlandês, conhecido por ser avesso a entrevistas, chamou a atenção da equipe depois de receber ordens básicas no rádio, como de esquentar os pneus enquanto o carro de segurança estava na pista, ou avisando sua diferença para os rivais. “Eu sei o que estou fazendo”, repetia o piloto, pedindo para não ser mais incomodado.

Mas as polêmicas não pararam por aí. O finlandês, que já admitiu em várias entrevistas que costuma beber, comemorou sua vitória em Abu Dhabi com uma cerveja na mão. Por estar nos Emirados Árabes, um país que não permite nem álcool no champanhe dos pilotos no pódio, o finlandês foi repreendido pela própria equipe.

Sucesso de Raikkonen na volta à F1 contrasta com retorno sem brilho de Schumacher

A volta de Raikkonen é completamente diferente do retorno de heptacampeão Michael Schumacher, que depois de três temporadas saiu de sua aposentadoria para tentar a sorte novamente na F1. Nesses três anos, o alemão se viu muito mais envolvido em acidentes do que com chances de vitória. Desde 2010, Schumacher subiu ao pódio uma vez apenas, no GP da Europa de 2010.

    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
    Leia tudo sobre: Kimi RaikkonenLotusF1Fórmula 1

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG