Ecclestone cogita cancelar projeto de novos motores pelo "som terrível”

Chefão da Fórmula 1 também reclama do preço muito maior do que o dos atuais motores

Gazeta |

O projeto de substituição dos atuais motores V8 aspirados de 2,2 L pelo V6 turbo 1,6 L, em 2014, pode não acontecer mais. Após acompanhar o desempenho da nova peça junto ao presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, o mandatário da Fórmula 1 , Bernie Ecclestone, criticou o barulho feito pela nova unidade e sugeriu que a FIA cancele a mudança.

Leia também:  Brawn nega motivação financeira de Hamilton em acordo 

"Eu ouvi o ronco dos motores em Maranello dia desses, comparando o novo com o antigo. Até o Luca di Montezemolo disse que o som é terrível e não gostou", afirmou o chefão, em entrevista ao jornal indiano Hindustian Times .

O dirigente pode ouvir o ronco do novo projeto em visita à sede da Ferrari, na última semana. Segundo Ecclestone, outro fator a favor do cancelamento do projeto é o seu valor, já que os motores atuais são mais baratos.

Deixe seu recado e comente esta notícia com outros leitores

Para o mandatário, o presidente da FIA, Jean Todt, deve acabar acatando as críticas e deve abortar o projeto. "Ele vai se livrar disso. Luca está sempre dizendo que deveríamos suspendê-lo por dois ou três anos. Eu acho sensato nos livrarmos disso e mantermos o que já temos: é mais barato do que os novos, custando cerca de 30% menos", completou.

As três montadoras fornecedoras de motor da Fórmula 1 - Ferrari, Renault e Mercedes - ainda passam por processo de adaptação de seus carros por conta das configurações exigidas pelo novo motor. Por conta disso, ainda seria possível revertê-las e desenvolver o carro voltado para o atual motor.

Leia tudo sobre: Fórmula 1Bernie EcclestoneF1MotoresJean Todt

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG