Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google

Apesar da vantagem de Alonso, histórico da F1 mostra chance de reviravolta

Campeonatos de 2010 e 2008, que também chegaram equilibrados ao GP de Cingapura, foram decididos apenas na última corrida

Bruno Gecys - iG São Paulo | - Atualizada às

Getty Images
Alonso luta para manter liderança na reta final do Mundial

A última prova da Fórmula 1 na Europa marca o início da reta final do campeonato e dos cálculos para saber quem será o campeão. Neste ano, após a prova de Monza e antes de Cingapura, 14ª etapa da temporada, a classificação do Mundial de Pilotos mostra que ainda é cedo para cravar ou descartar os nomes do topo da tabela, como indica o histórico dos últimos anos em que o equilíbrio era parecido com o atual.

Deixe seu recado e comente esta notícia com outros leitores

Apesar de Fernando Alonso ter construído certa vantagem, será necessário continuar com desempenho regular para chegar ao fim do campeonato com as maiores chances. O espanhol está com 179 pontos, enquanto Lewis Hamilton, vice-líder, está 37 atrás, mas com o mesmo número de vitórias. Seus concorrentes, porém, não param por aí: Kimi Raikkonen, Sebastian Vettel e Mark Webber estão na margem de até 10 pontos atrás de Hamilton.

O campeonato atual tem um cenário parecido com o que aconteceu em 2010, primeiro ano em que a pontuação passou a ser distribuída entre os dez primeiros pilotos, dando 25 pontos para o vencedor de cada GP.

Naquela temporada, o equilíbrio entre os cinco primeiros era ainda maior antes do GP de Cingapura, que foi a 15ª prova do ano. A diferença de Mark Webber, que era líder, para o quinto colocado era de apenas 24 pontos. Depois das provas disputadas fora da Europa no fim do ano, Webber terminou na terceira posição, enquanto o campeão foi justamente o piloto que estava em quinto depois de Monza: Vettel.

E o título do alemão naquele ano veio após chegar à última prova, em Abu Dhabi, como terceiro colocado, atrás de Webber e Alonso, com uma reação de três vitórias nas últimas quatro provas, o que não pode ser descartado entre os concorrentes deste ano.

Getty Images
Campeão em 2010, Vettel era quinto colocado no campeonato quando chegou ao GP de Cingapura

Em 2011, a F1 viveu um ano em que o equilíbrio foi completamente destruído e Vettel passeou. O alemão chegou a Cingapura (14ª corrida do ano) com 112 pontos de vantagem para Button, o vice-líder, e com chances de se tornar bicampeão já naquela etapa. O título viria no GP seguinte, no Japão, com quatro provas de antecedência, algo impensável nesta temporada.

Nos dois últimos anos com a pontuação antiga, a coincidência de anos ímpares com campeonatos desequilibrados e imprevisibilidade nos anos pares continuou. Em 2009, a Brawn GP dominou desde o início com Jenson Button e Rubens Barrichello.

Antes de Cingapura, 14º GP do ano, Button era líder com 80 pontos, contra 66 de Rubinho e 54 de Vettel. Como a vitória valia 10 pontos, a chance de o título sair das mãos dos pilotos da Brawn já era pequena. No fim, Vettel ainda reagiu, mas ficou 11 pontos atrás de Button, algo como uma diferença pouco maior que uma vitória no sistema atual.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Em 2008, porém, o Mundial foi equilibrado como o deste ano, e quase apresentou reviravolta no fim. Nesta altura do campeonato, Hamilton, campeão daquele ano, tinha um ponto de vantagem sobre Massa, o vice-líder, com Robert Kubica a 13 pontos do brasileiro.

O campeonato chegou à última prova, no Brasil, apenas com Hamilton e Massa na briga pelo título, mas com o britânico com uma vantagem de sete pontos, bem significativa naquela pontuação. Como a maioria dos brasileiros lembra bem, por pouco o Mundial daquele ano não ficou com Massa, que na última curva de Interlagos acabou vendo Hamilton terminar em quinto e ficar um ponto à frente.

Por isso, as últimas sete corridas deste ano ainda guardam muitos pontos a serem disputados e podem trazer novidades ao campeonato até o GP do Brasil. Resta saber se alguém conseguirá a arrancada necessária para tirar Alonso de seu tricampeonato, ou se o espanhol irá manter a regularidade que o colocou na liderança até aqui.

Veja a comparação da classificação deste ano com os anos anteriores quando o campeonato chegou ao GP de Cingapura:

2012

1º- Fernando Alonso (ESP) – Ferrari – 179

2º- Lewis Hamilton (GBR) – McLaren – 142

3º- Kimi Raikkonen (FIN) – Lotus – 141

4º- Sebastian Vettel (ALE) – Red Bull – 140

5º- Mark Webber (AUS) – Red Bull - 132

2011

1º- Sebastian Vettel (ALE) – Red Bull – 284

2º- Fernando Alonso (ESP) – Ferrari – 172

3º- Mark Webber (AUS) – Red Bull – 167

4º- Jenson Button (GBR) – McLaren – 167

5º- Lewis Hamilton (GBR) – McLaren – 158

Vettel campeão

2010

1º- Mark Webber (AUS) – Red Bull - 187

2º- Lewis Hamilton (GBR) – McLaren – 182

3º- Fernando Alonso (ESP) – Ferrari – 166

4º- Jenson Button (GBR) – McLaren – 165

5º- Sebastian Vettel (ALE) – Red Bull – 163

Vettel campeão

2009

1º- Jenson Button (GBR) – Brawn GP – 80
2º- Rubens Barrichello (BRA) – Brawn GP – 66
3º- Sebastian Vettel (ALE) – Red Bull – 54
4º- Mark Webber (AUS) – Red Bull – 51.5
5º- Kimi Raikkonen (FIN) – Ferrari – 40

Button campeão

2008

1º- Lewis Hamilton (GBR) – McLaren – 78
2º- Felipe Massa (BRA) – Ferrari – 77
3º- Robert Kubica (POL) – BMW Sauber – 64
4º- Kimi Raikkonen (FIN) – Ferrari – 57
5º- Fernando Alonso (ESP) – Renault – 28

Hamilton campeão

Leia tudo sobre: f1alonsovettel

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG