Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google

Grande atrativo de Spa, Eau Rouge é uma das curvas mais temidas pelos pilotos

Trecho do circuito belga é bastante desafiador e um dos mais perigosos em toda a história da Fórmula 1

Guilherme Abati - iG São Paulo |

Depois de uma longa pausa devido às férias de verão, equipes e pilotos da Fórmula 1 voltam ao trabalho neste fim de semana, no GP da Bélgica. O retorno da categoria, entretanto, não é a única atração da corrida belga. A segunda e decisiva fase do Mundial começa em um dos lugares mais queridos e aguardados pelos pilotos e fãs: o lendário circuito de Spa-Francorchamps .

Leia também: Dê uma volta virtual em Spa e conheça melhor a Eau Rouge 

Spa é uma das pistas que mais exige dos pilotos no calendário atual da Fórmula 1 : é a mais longa da temporada, com curvas em alta velocidade e subidas e descidas onde se atinge até 330 km/h. Além disso, há a imprevisibilidade do clima, que faz com que, muitas vezes, durante a mesma volta, o piloto se veja diante de trechos molhados e secos. Mas, acima de tudo, Spa possui a curva mais desafiadora e temida do mundial: a Eau Rouge.

Desde sua inauguração, o circuito de Spa-Francorchamps foi modificado várias vezes, com redução do tamanho de 15 para sete quilômetros e reformulações visando maior segurança. A Eau Rouge, entretanto, nunca foi modificada.

A mítica curva está localizada logo no início da volta. Depois de passar pelo hairpin La Source, os pilotos descem em velocidade máxima até a curva. A Eau Rouge (água vermelha, em português) é formada por três curvas em níveis distintos. Primeiro, vira-se para a esquerda, sobre uma leve subida. Depois, vira-se para a direita. Nesse momento, passando sobre uma subida repentina, o piloto precisa aliviar a pressão sobre o acelerador e diminuir um pouco a velocidade. A última curva é feita para a esquerda, de onde se atinge o início de uma longa reta, a Kimmel Straight.

Nesta reta, em 2000, Mika Hakkinen superou Michael Schumacher em uma das ultrapassagens mais incríveis da história da F1. O finlandês pressionava o alemão em busca da primeira colocação. Os dois entraram na Eau Rouge colados. À frente deles estava Ricardo Zonta. Hakkinen, então, de uma só vez, ultrapassou Zonta e Schumacher, usando o lado direito da reta e ficando com o melhor lado da curva para fazer a Les Combes.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros leitores

Fernando Alonso, campeão mundial em 2005 e 2006, atual líder do Mundial, explica como a curva é importante para se obter um bom resultado na Bélgica. "Você vem em alta velocidade, descendo, e, depois da Eau Rouge, você não consegue ver para onde está indo. É um ponto cego, em altíssima velocidade. Além de perigosa, ele é vital para se fazer uma volta rápida, porque logo depois há uma longa reta. Se você perder tempo na Eau Rouge, além de poder bater forte, você pode ter sua volta completamente arruinada. A Eau Rouge é crucial em Spa”, afirma o líder do campeonato .

Getty Images
Em 1999, Jacques Villeneuve bateu forte na Eau Rouge

Siga o iG Automobilismo no Twitter

A Eau Rouge é tão desafiadora, que até um dos mais destemidos pilotos da história da categoria afirmava que aliviava o pé ao contorna-la. Ayrton Senna dizia que sempre quis fazer a curva com o pé embaixo, mas que seu pé direito jamais permitiu a insensatez.

O receio de Senna é compreensível. Os pilotos que se arriscaram e fizeram a Eau Rouge sem deixar de acelerar não se deram nada bem. Em 1999, o canadense Jacques Villeneuve, durante o classificatório para o GP, decidiu que iria fazer a Eau Rouge sem desacelerar. Resultado: bateu forte contra a proteção de pneus. Depois da colisão, o campeão mundial de 1997 descreveu o acidente como "o maior acidente de sua carreira". No mesmo ano, o brasileiro Ricardo Zonta, companheiro de Villeneuve na BAR, resolveu imitar o canadense e conseguiu: também bateu forte contra os pneus de proteção, após capotar. O piloto, assim como Villeneuve, nada sofreu.

A Eau Rouge também já fez uma vítima fatal, Stefan Bellof. O promissor alemão corria pela Tyrell, em 1985, e participava de uma corrida na categoria Sport-Protótipos quando sofreu um grave acidente na perigosa curva. Bellof era o líder da corrida e defendia sua posição contra as investidas de Jacky Ickx, o segundo colocado. Ao subirem a Eau Rouge, os dois carro se tocaram e Bellof, de 27 anos, bateu de frente contra o muro e morreu.

Getty Images
Assim como Villeneuve, Ricardo Zonta também bateu na curva

Em 2012, o maior vencedor da história da categoria, Michael Schumacher, completa 300 GPs na F1 em Spa . A prova é especial para o alemão, que estreou na F1 no circuito, em 1991, a bordo de uma Jordan. Foi em Spa onde o alemão ganhou sua primeira corrida, em 1992, e conquistou seu sétimo título mundial. Além disso, Schumacher é o recordista de vitórias no circuito, com seis.

O GP belga é a 12ª corrida da temporada. Fernando Alonso, da Ferrari, é o líder do Mundial , com 164 pontos. Mark Webber é o segundo, com 124. Sebastian Vettel é o terceiro, com 122

Confira a programação completa do fim de semana da Fórmula 1 na Bélgica*:

Sábado, 1 de setembro

3º treino livre: 6h
Classificatório: 9h

Domingo, 2 de setembro
Grande Prêmio da Bélgica: 9h

* Sempre pelo horário de Brasília

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG