Piloto da Lotus agradece oferta do tricampeão, mas diz que está contente com atual performance

Romain Grosjean recusou a oferta feita por Jackie Stewart de ajudá-lo com sua pilotagem . O francês da Lotus disse que ajuda não é algo que ele precisa. No início desta semana, Stewart disse que estaria disposto a ajudar Grosjean com a sua condução, uma vez que ele avalia que o francês tem potencial para ter sucesso na F1 . "No tênis existem treinadores. No boxe, golfe, esqui ... todo mundo tem um, mas nós não", disse o tricampeão mundial ao site Autosport .

Leia também:  Terreno de futuro autódromo do Rio de Janeiro pode ter minas não detonadas

"Eu não quero me tornar um treinador, mas sei que posso ajudá-lo. Estou impressionado com a velocidade de Romain, e na verdade eu acho que ele vai ganhar uma corrida este ano", afirmou o escocês.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Grosjean ficou lisonjeado com a oferta feita pelo tricampeão do mundo. Entretanto, restrições de tempo fizeram com que ele recusasse a ajuda. "Ele fez a oferta, mas a questão principal é o calendário. É muito apertado no momento e eu tenho uma lua de mel para fazer", disse o piloto da Lotus, recém-casado. "Obviamente, é muito bom ouvir elogios como esses vindos de um tricampeão mundial. Vamos ver no futuro", disse Grosjean, abrindo portas para uma futura parceria.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros leitores

"Você sempre pode mudar. Eu costumava trabalhar com um psicólogo, mas eu não sinto que preciso de um hoje. Talvez eu me sinta diferente no futuro. As coisas podem mudar de semana para semana, mas no momento eu estou feliz com a maneira como as coisas estão indo", finalizou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.