Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Enquete: A Fórmula 1 está exagerando nas punições nesta temporada?

Em oito provas, já ocorreram 21 penalidades, mais do que a metade dada durante todo o ano passado

Mariana Gianjoppe - iG São Paulo |

Se a vitória espetacular de Fernando Alonso foi o grande destaque do Grande Prêmio da Europa do último domingo (24), por outro lado a corrida também ficou marcada por um número nada positivo. Quatro pilotos receberam punições e todas por manobras irregulares durante ultrapassagens.

Leia também: Ecclestone considera investir dinheiro próprio para realização de GP em Londres

Coincidência ou não, os quatro penalizados são jovens que ainda estão em suas primeiras temporadas na Fórmula 1. Bruno Senna e Pastor Maldonado receberam punições drive-through, enquanto Kamui Kobayashi perderá cinco posições no grid da próxima corrida. O caso de Jean-Éric Vergne é mais grave. Depois de destruir a prova de Heikki Kovalainen, o novato perderá dez posições no GP da Grã-Bretanha e ainda terá de pagar uma multa de quase 65 mil reais.

Mas a grande quantidade de punições não foi exclusividade da corrida em Valência. Desde seu início, a temporada 2012 tem sido marcada pelas penalidades. Até agora, já foram 21 em oito provas – mais da metade das 35 punições aplicadas em toda a temporada passada. A dúvida que fica é: será que a Fórmula 1 está exagerando nas punições?

Desde o ano passado, Lewis Hamilton vem reclamando do excesso de penalidades e do julgamento dos comissários. Para ele, as punições vão contra os esforços da categoria de aumentar as ultrapassagens e a emoção das provas, como defendeu após o GP de Mônaco de 2011. “Claro que eu que recebi a punição, o que já é normal. Apenas acho que as pessoas querem me ver correndo, querem ver ultrapassagens, e você se cansa por tentar ultrapassar”, disse na ocasião.

Deixe seu recado e comente esta notícia com outros leitores

Para este ano, novas regras para a defesa de posição passaram a restringir ainda mais os pilotos. O novo regulamento da FIA estabelece que “mais de uma mudança de direção para defender a posição não é permitida. Qualquer piloto que voltar para a linha de corrida, tendo anteriormente defendido sua posição fora dela, deve deixar pelo menos a largura de um carro entre seu próprio carro e o limite da pista na entrada para curvas”.

Podem ser punidos também aqueles que, entre outras irregularidades, provocarem acidentes evitáveis, bloquearem adversários de maneira desleal, atrapalharem carros que estão lhe dando uma volta, deixarem a pista e cortarem chicanes sem razões justificáveis, excederem o limite de velocidade nos boxes ou sob bandeira amarela.

Com tanta margem para punições, elas chegam a mudar o rumo de corridas, como aconteceu neste ano em Mônaco. Na ocasião, Michael Schumacher conquistou a pole position na pista, mas perdeu cinco posições no grid por ser considerado culpado em uma colisão com o piloto Bruno Senna, quando tentava ultrapassá-lo na prova anterior, em Barcelona.

Para o bicampeão Sebastian Vettel, essa foi uma punição desnecessária. “Acho que, nessas situações, isso deveria ser classificado simplesmente na categoria de acidentes de corrida”, enfatizou o piloto da Red Bull.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Reuters
Batida envolvendo Michael Schumacher e Bruno Senna levou à punição que tirou o alemão da pole em Mônaco

Já no último domingo, em Valência, foi a vez de Senna ser punido, por uma batida com Kobayashi , e reclamar da decisão dos comissários. "Eu estava no meu traçado. Acho que o Kobayashi viajou. Não sei por que tomaram essa decisão", afirmou o brasileiro.

Seu companheiro de Williams, Maldonado, também saiu de Valência com uma punição – o venezuelano é o líder de penalidades na temporada, com cinco. Ele brigava para tirar a terceira colocação de Lewis Hamilton quando os dois se chocaram, ambos ficando fora do resto da prova. Culpado pelos comissários, o venezuelano não concordou: “Lewis estava com muitos problemas nos pneus, completamente perdido, e eu estava alcançando um ritmo muito bom. Ele tentou uma manobra muito agressiva”.

A polêmica é tão grande que ultrapassa os limites do paddock. Para o ex-piloto Jacques Villeneuve, o problema não são as regras ou os comissários, mas sim a postura da nova geração de pilotos nas pistas. "Tem algo um pouco estranho com o que eles pensam ser uma condução respeitosa, e parece haver muito pouco bom senso na pista”, criticou o campeão de 1997. “Acho que nos dias em que a F1 era perigosa, 20 ou 30 anos atrás, o risco de morte era muito alto, então os piloto simplesmente não faziam isso uns com os outros. Hoje todo mundo está ignorando o fato da F1 ser perigosa. Eles pensam que é como um game, mas não é”, completou.

E para você, as punições são justas ou estão exageradas nesta temporada? Vote na enquete.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG