Red Bull, Toro Rosso, Caterham e Lotus usam motores da Renault e decepcionaram nos testes na pré-temporada

Reuters

Red Bull é uma das escuderias a usar motor da Renault na temporada da F1
Getty Images
Red Bull é uma das escuderias a usar motor da Renault na temporada da F1

A Renault fez algum progresso em eliminar os problemas de motor que arruinaram os testes de pré-temporada da Fórmula 1, mas chegará à primeira corrida do ano, o Grande Prêmio da Austrália, com dúvidas sobre preparativos "incompletos".

Deixe seu recado e comente com outros leitores

A Renault fornece motores à campeã Red Bull, à Toro Rosso, à Caterham e à Lotus, e a performance de seus novos motores decepcionou nos testes em Jerez e no Barein.

Depois de darem apenas 151 voltas na Espanha, os carros com motores Renault passaram mais tempo na pista no Barein, mas ainda assim terminaram os testes de 2014 com menos da metade do total de quilômetros das quatro equipes que usam Mercedes.

A Renault também foi consideravelmente mais lenta, com o tempo mais rápido do tetracampeão Sebastian Vettel no último dia da pré-temporada, domingo, 4,190 segundos mais lento do que o melhor de Lewis Hamilton, com a Mercedes.

"Não podemos escapar do fato de que não completamos o programa inteiro com todas as equipes e que alguns preparativos em Melbourne ficaram incompletos", disse o vice-diretor-gerente de F1 da Renault Sport, Rob White, no site www.renaultsportf1.com.

A F1 passou pela maior revolução técnica em mais de 20 anos, com a adoção dos novos motores V6 turbo e sistemas de recuperação de energia.

White disse que sua nova "unidade de poder" está imatura, apresentando falhas de torque, e sugeriu que a montadora terá dificuldades para lidar com os problemas antes da corrida em 16 de março no circuito de Albert Park.

"Entre agora e Melbourne temos uma série de itens para cobrir", disse ele. "Melbourne será um fim de semana de ansiedade. Fazer um final de semana normal de corrida, em que ambos os carros correm bem em cada sessão para cada equipe, seria um grande alívio".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.