Tamanho do texto

Piloto teve bom ano na Lotus, mas por pouco ele não teve a chance de pilotar o carro nesta temporada

Grosjean teve destaque na Lotus em 2013
Paul Gilham/Getty Images
Grosjean teve destaque na Lotus em 2013

Romain Grosjean foi destaque com a Lotus em 2013. Terminou em sétimo lugar no Mundial de Pilotos e subiu ao pódio em seis provas. Resultados que por pouco não aconteceram. Nesta sexta-feira o piloto disse que seu lugar na equipe esteve ameaçado antes do início da temporada.

"Eu me lembro de Gerard ligando no início do ano e dizendo que o contrato estava assinado. Mas ele também falou que, se nas primeiras quatro corridas eu tivesse quatro acidentes em primeiras voltas, então estaria tudo acabado. Eu respondi que isso era normal. Nesse caso, eu não apareceria para a quinta etapa", disse Grosjean em entrevista à Auto Hebdo .

Durante o ano, a Lotus também passou por diversos problemas financeiros, como a busca de investidores. Para o piloto, ao contrário do que é falado, as negociações externas não interferem no desempenho dos competidores e deixa a equipe ainda mais unida.

"Na verdade, para os pilotos, engenheiros e mecânicos, esses são problemas externos. A temporada terminou em condições difíceis. Foi particularmente um momento complicado para Eric Boullier. Mas é nesses momentos que você vê a força da equipe", concluiu.

Com a saída de Kimi Raikkonen, que foi para a Lotus, Grosjean terá como parceiro o venezuelano Pastor Maldonado, que estava na Williams. Com a experiência de já ter conhecido o futuro companheiro na época em que competia na GP2, o franco-suíço aproveitou para elogiá-lo.

"Nós nos encontramos algumas vezes na GP2, mas eu acho que ele é muito rápido em uma única volta. Quando tudo dá certo para ele e para o carro, e ele está no comando da situação, ele pode ser muito rápido. Já vimos isso no GP da Espanha do ano passado", concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.