Conforme o cronograma apresentado pela FIA, a temporada do ano que vem terá 22 corridas, um recorde na categoria

Disputando sua 11ª temporada na Fórmula 1, Felipe Massa tem experiência para falar sobre a principal categoria do automobilismo mundial. Mesmo sem saber se continuará na competição em 2014, o brasileiro criticou, nesta quinta-feira, o calendário provisório do próximo ano , que foi divulgado pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) na última semana.

Confira: Com 22 corridas, FIA divulga calendário provisório para F1 em 2014

"É muita coisa para pensar, porque realmente é desconfortável, não apenas para nós como pilotos, mas para as equipes. Com um raciocínio pouco melhor, acho que dá para fazer um calendário bem melhor para o ano que vem", declarou o piloto.

Com Alonso e Raikkonen, Ferrari diz que não terá primeiro piloto em 2014

Conforme o cronograma apresentado, a temporada de 2014 terá 22 corridas, um recorde para a F1. Em relação ao calendário deste ano, a competição também começará com o Grande Prêmio da Austrália, no dia 16 de março, e terminará no Brasil, no dia 30 de novembro.

Massa nos treinos para o GP de Cingapura
AP
Massa nos treinos para o GP de Cingapura

Para Massa, o aumento no número de provas não é o principal motivo de reclamações de outros pilotos e equipes. Segundo ele, o que atrapalhará será a logística, já que todos precisarão fazer grandes viagens para chegarem a tempo de disputarem as corridas do apertado calendário.

Projetista da Williams em 1994, Newey diz que morte de Senna o assombra até hoje

"O problema é que você vai para o Japão, volta para a Europa e depois volta aqui . Pode se fazer muitas corridas, isso não é um problema, mas é necessário fazer de um jeito melhor", declarou o brasileiro.

A respeito de seu futuro na Fórmula 1, Massa não esconde que mantém contato com algumas equipes, mas deixa claro que só continuará na categoria se for para uma escuderia competitiva.

"Acho que o momento certo para falar sobre isso vai ser quando se sabe para onde vai. Há algumas oportunidades. Estou bem otimista de que arranjaremos uma boa solução. Quero um carro que me dê possibilidades de lutar. Se não tiver isso, não estou interessado", concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.