Tamanho do texto

Além de manter o treinador, presidente de federação quer que seleção siga com o mesmo estilo mostrado na Argentina

selo

A queda nas quartas de final da Copa América no último domingo, com a derrota por 2 a 1 para a Venezuela, decepcionou os torcedores chilenos, que colocaram em dúvida o trabalho do técnico argentino Claudio Borghi. O próprio presidente da Associação Nacional de Futebol Profissional (ANFP), do Chile, Sergio Jadue, admitiu que esperava ver a seleção indo mais longe na competição, mas comemorou a chegada às quartas de final. 

"Nosso país foi de longe uma das melhores seleções do torneio. O objetivo era estar entre os quatro primeiros, mas acabamos caindo. Estou contente porque temos futebol e jogando da mesma forma perderemos partidas, mas ganharemos muito mais", declarou nesta segunda-feira, à imprensa chilena. 

Jadue negou que esta Copa América , já sem Brasil e Argentina, que também caíram nas quartas de final, seria a chance de ouro para o Chile se sagrar campeão. O presidente ainda apontou que o principal desafio da seleção não era esta competição, mas sim as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil. 

"Não estou de acordo que esta era a oportunidade de ganhar (a Copa América). Agora vem um desafio maior, nas eliminatórias, e esperamos estar no Brasil em 2014. Claudio (Borghi) conta com o respaldo absoluto e compromisso total de toda a direção e em particular deste presidente. Ele fará umas Eliminatórias espetaculares", garantiu.

Além de garantir a permanência do treinador, o presidente da entidade chilena pediu que o estilo de jogo demonstrado na Argentina, que garantiu o primeiro lugar do Grupo C, com sete pontos, seja mantido. "Reitero as palavras de Claudio (Borghi). Não vamos desistir da nossa forma de jogo", afirmou.