Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Alecsandro mostra personalidade nos momentos importantes

Atacante chama responsabilidade ao pedir para cobrar pênaltis decisivos mesmo com pouco tempo de clube

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

Contratado há três semanas como a principal referência na área, Alecsandro tem justificado cada centavo investido pelo Vasco. O atacante fez apenas quatro partidas, uma delas começando no banco de reservas, mas já balançou a rede três vezes. Média boa se levado em conta a falta de entrosamento com o time. Melhor ainda ao lembrar a importância de dois deles: de pênalti, contra ABC e Cabofriense, em uma semana decisiva.

“Só tem aparecido pênalti decisivo, difícil. Ainda não pintou aquele quando o jogo está decidido, tipo 3 a 0, 4 a 0. Mas graças a Deus estou conseguindo bater e corresponder. O importante é a classificação", disse Alecsandro.

Nas duas oportunidades em que cobrou as penalidades, o Vasco tinha em campo jogadores com a mesma experiência e com mais história no clube. Nomes como Felipe, Diego Souza e Leandro estavam em campo. Qualquer um que se oferecesse estaria, pelo currículo, credenciado para a cobrança. Mas Alecsandro pediu a bola, chamando a responsabilidade. Na hora, veio-lhe à cabeça as conversas com o presidente Roberto Dinamite e o diretor-executivo Rodrigo Caetano no ato da sua contratação.

“Quando eles me procuraram, disseram que eu estava vindo para ser espelho para os mais jovens, que queriam um jogador com os meus títulos para tornar o Vasco grande, vencedor. Então, na hora do pênalti eu me ofereci para cobrar. Quis valer o investimento em mim. Fui o jogador que eles pediram”, contou o atacante.

Aos 30 anos, Alecsandro assinou com o Vasco por três temporadas. Com a derrota do Internacional, seu ex-clube, para o Mazembe, no Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro, o atacante virou alvo da torcida. No Beira-Rio, marcou 56 jogos em 116 partidas, mas o vexame para a desconhecida equipe da República Democrática do Congo fez dele bode expiatório. Não vinha tenho chances no time colorado. Com passagens por Vitória e Cruzeiro, agora espera fazer história no futebol carioca.

“No futebol, temos objetivos. Eu tenho o meu. Quero ser campeão pelo Vasco e comemorar com essa torcida que já deu pra ver que é diferente”, prometeu o atacante, que traz no currículo conquistas como Copa Libertadores e os estaduais baiano, mineiro e gaúcho.
 

Leia tudo sobre: Vascocampeonato carioca 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG