Presidente do Atlético-MG tripudiou de rival depois da vitória no clássico neste domingo

Torcedores do Cruzeiro brigaram entre eles antes do clássico contra o Atlético-MG no Independência
Yuri Edmundo/Gazeta Press
Torcedores do Cruzeiro brigaram entre eles antes do clássico contra o Atlético-MG no Independência

O maior clássico de Minas Gerais foi jogado neste domingo no estádio Independência com maioria de torcida do Atlético-MG . Por ser o mandante da partida, a diretoria alvinegra destinou apenas 10% da carga de ingressos para o Cruzeiro , mas mesmo em minoria, a torcida visitante provocou a indignação do presidente atleticano Alexandre Kalil.

Veja a classificação, tabela de jogos, notícias e artilharia do Campeonato Brasileiro

O dirigente reclamou da postura dos torcedores, que segundo ele, teriam atirado vários objetivos no gramado, inclusive bombas. Kalil prometeu reclamar da situação e disse que crianças que estavam no estádio poderiam ter saído machucadas por causa de torcedores adversários.

"Estamos passando do limite. Espero que o tribunal veja o que aconteceu. Quando temos outros jogos aqui não acontece nada. Só acontece com este visitante. Jogaram duas bombas aqui na minha frente, sendo que uma poderia acertar o olho e cegar uma pessoa. Isso vai ser denunciado e temos que parar com isso no futebol", disse.


Questionado sobre o desempenho do Atlético-MG, que mesmo tendo vencido o rival pelo placar mínimo, foi mais agressivo e poderia até ter ganhado por um placar mais elástico, Kalil se limitou a dizer que a Raposa é freguês no Horto. "Quando eles jogam aqui, são fregueses", comentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.