Mesmo com um jogo a menos que rivais, atual líder não pode ser superado pelos adversários no primeiro turno do Brasileirão

Tradicionalmente, o Atlético-MG encontra dificuldades nas partidas contra o Botafogo , e neste domingo, no Independência, não foi diferente. As duas equipes fizeram um duelo eletrizante, e o Galo levou a melhor, vencendo de virada por 3 a 2, e conquistando o título simbólico do primeiro turno do Brasileiro de forma antecipada, com 42 pontos.

Brasileirão está a uma rodada do fim do primeiro turno. Confira a classificação

Na última rodada, mesmo que o Fluminense vença o Flamengo, no clássico carioca, o Galo termina o turno em primeiro lugar por ter o maior número de vitórias, primeiro critério de desempate. O primeiro gol do jogo foi anotado por Andrezinho, que pegou rebote da zaga e fuzilou o goleiro Victor. O Galo chegou ao empate com Escudero e virou o placar com um gol do avante Jô, após assistência perfeita de R49, Andrezinho voltou a empatar e Neto Berola deu números finais ao placar.

Santos também consegue virada e vence o Corinthians na Vila Belmiro

Na sequência do Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG vai fechar o turno da competição nacional enfrentando o arquirrival Cruzeiro, no clássico mineiro, marcado para o próximo domingo, no Independência. Já o Botafogo, também terá um duelo local, medindo forças contra o Flamengo, no Engenhão.

O jogo

O duelo entre Atlético-MG e Botafogo começou de forma equilibrada, com os cariocas sem se intimidar por atuar fora de casa, o que garantiu um jogo movimentado, com várias chances de gol. Aos cinco minutos, o estreante Lodeiro tentou um cruzamento pela direita e quase surpreendeu o goleiro Victor com a curva feita pela bola. A resposta atleticana veio com Leandro Donizete em chute de fora da área.

Relembre a história do Brasileirão, de 1971 a 2011, no infográfico do iG

Aos 13, Ronaldinho fez jogada de craque fintando a marcação botafoguense e rolando com açúcar para o garoto Bernard, que saiu na cara do goleiro Jéfferson, que foi mais esperto no lance e salvou o time carioca com uma excelente defesa. Depois de iniciar o jogo a todo o vapor, os visitantes diminuíram o ritmo, permitindo maior posse de bola para o Galo, mais ainda igualando as ações.

Aos 22, o Atlético-MG conseguiu boa trama ofensiva, que terminou com um tiro do argentino Escudero, mas brilhou a estrela do arqueiro botafoguense, que operou milagre para salvar os cariocas. Aos 24, Ronaldinho cobrou falta com perigo, porém, errou o alvo. Após estes dois lances, o Galo ganhou confiança e passou a ter o controle do jogo.

Aos 26, nova chance para os donos da casa, com Júnior César que tentou finalização cruzada, mas Jéfferson fez nova defesa. Mesmo melhor na partida, o Atlético-MG encontrou problemas na saída de bola pelo lado direito, sentindo a falta do lateral Marcos Rocha e do meia-atacante Danilinho. Com isso, o Botafogo procurou explorar os erros da equipe mineira e acabou premiado com um gol.

Após uma falha de marcação pela esquerda, o atacante Elkeson conseguiu chegar à linha de fundo com qualidade e cruzou para a área atleticana, o zagueiro Leonardo Silva tentou o corte, mas o rebote sobrou para Andrezinho, que fuzilou o goleiro Victor abrindo os trabalhos no Independência. Aos 43, veio o troco do Galo com o argentino Escudero, que aproveitou que Jéfferson não segurou finalização de Jô e mandou para as redes, empatando o jogo.

Logo na volta do intervalo, Ronaldinho cobrou falta na cabeça de Jô, que mandou sobre o travessão, desperdiçando chance de virar o jogo. Aos cinco minutos, o avante Jô apareceu bem na ponta esquerda e cruzou para Bernard, que chegou atrasado no lance, em mais um bom momento do Atlético-MG.

Dominando a partida, a virada atleticana não demorou e veio com uma assistência perfeita de Ronaldinho para Jô, que dentro da pequena área empurrou para o gol, levando a torcida atleticana à loucura nas arquibancadas do Independência. Acuado, o Botafogo passou a levar perigo somente nas jogadas de contra-ataque.

Correndo risco de sofrer o terceiro gol, o time carioca resolveu adiantar as linhas de marcação após os 25 minutos, equilibrando o jogo na etapa complementar, mas dando espaços para as jogadas em velocidade do Galo. Aos 33, Rafael Marques foi derrubado dentro da área e o árbitro Anderson Daronco marcou o pênalti. Na cobrança, Andrezinho deslocou Victor e empatou o jogo.

Ainda teve tempo para o Atlético-MG voltar à frente no placar, aos 42, com o velocista Neto Berola, que tabelou com Carlos César e tocou na saída de Jéfferson, explodindo o Independência com a torcida atleticana. Com a vitória, o Galo chega aos 42 pontos e conquista o título simbólico do primeiro turno do Brasileiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.